Empreender passa pela sua cabeça, mas logo em seguida surgem os medos, as dúvidas e a insegurança? Mas aí no mês seguinte a ideia volta e fica martelando na sua mente de novo e a enche de possibilidades?

Então na próxima semana você pensa que o melhor mesmo é continuar no seu emprego CLT porque é mais estável e afinal de contas você tem contas para pagar? (e muitas!)

Às vezes você acha que esta velho para correr esse tipo de risco? Se tivesse 20 anos iria com certeza?

Colocando nossos questionamentos e incertezas de lado, vale dizer que em meio a um cenário de crise econômica e incertezas sobre os rumos do país, o número de novas empresas abertas no Brasil bateu recorde histórico no ano de 2019. Segundo o Indicador de Nascimento de Empresas da Serasa Experian, foram 281.644 novos empreendimentos abertos no período, totalizando 1,8 milhão de novas empresas no acumulado do ano passado.

Se por qualquer que seja o motivo você está pensando em empreender, vale pensar sobre alguns aspectos:

 

1. Tenha um porque realmente forte

Escuto muita gente falar nas sessões de Coaching “ah eu penso em abrir um negócio mas realmente não sei o quê poderia ser”. Abrir um negócio e empreender não é tarefa fácil como talvez possa parecer em algumas situações. É imprevisível, desgastante, às vezes solitário, extremamente desafiador, e na maioria das vezes demora a dar retorno, é algo que todos os dias testa você, sua capacidade de seguir adiante apensar dos obstáculos, de resistir quando o mais lógico seria parar… E estou falando isso para te desanimar? Não, apenas para você saber que se você não tiver um porque muito forte, talvez seja melhor repensar.

Cabe acrescentar aqui nesse item a questão tão amplamente discutida dos últimos anos: o tal do propósito. Com certeza, para aumentar as chances do seu negócio ser bem sucedido ele deve ter um real significado e valor para você. É justamente um propósito claro e bem determinado que te trará o seu “porquê”.

 

 

2.  Seja mais que o técnico!

Aqui um outro “erro” muito comum. As pessoas normalmente pensam em abrir um negócio relativo à algo que elas conhecem, sabem fazer e gostam muito! Até ai tudo bem, o problema é que para ter um negócio que realmente dê certo você precisará desenvolver outras habilidades também como ser um bom administrador e ter uma veia empreendedora. Um responde pelas habilidades de gerenciamento e administração do negócio, o outro tem a veia da inovação, dos sonhos, de fazer acontecer. E o técnico é quem realmente tem a expertise sobre o assunto, aquele que sabe fazer. Não seja somente o técnico. Desenvolva os três perfis! Ah e aqui vai uma excelente dica de leitura exatamente sobre esse tema: O Mito do Empreendedor, de Michael Gerber… Verdadeiramente extraordinário e indispensável para quem quer arregaçar as mangas e começar um novo negócio.

 

3. Planejamento é a chave.

A dor de muita gente que pensa em empreender é a instabilidade que o novo cenário pode trazer. A questão nesse caso é que tudo pode ser muito bem solucionado (ou minimizado) se você tiver um bom planejamento estratégico para sua transição de carreira. Ele deve levar em consideração os prazos, os detalhes das ações, o porquê e o como de cada ação e claro, os imprevistos. Sim, porque algumas coisas vão acontecer fora do que você planejava e muitas delas você não terá controle. Importantíssimo dizer também eu muitas vezes vale dar um passo para trás ou aguardar o melhor momento para empreender com mais segurança e controle dos riscos, desde que realmente você faça um planejamento e o coloque em prática!

 

Pensando em fazer uma transição de carreira? Você não precisa fazer sozinho. Conheça o PROGRAMA DE COACHING DE CARREIRA. 

 

 

4. Cuidado com a AUTOSSABOTAGEM

Estou falando de vozes baixinhas internas que você talvez escute como: “Agora não é a hora”, “O país tá em crise”, “É melhor esperar, que quem já esperou até agora pode esperar um pouco mais…”, “Isso não vai dar certo”… A sua grande habilidade nesse momento será realmente identificar e separar o que é real do que é apenas sua mente tentando te sabotar!

Segundo o especialista Shirzad Chamine, CEO de uma das maiores organizações de treinamento de coaches do mundo, apenas 20% dos indivíduos conseguem alcançar seu verdadeiro potencial, e isso acontece justamente por conta da autossabotagem. Assim, conhecer os sabotadores da mente é a primeira etapa para poder eliminá-los de uma vez por todas. De acordo com Chamine, todo indivíduo possui, pelo menos, dez inimigos internos que criam padrões de comportamento como resposta a situações corriqueiras da vida. São esses os sabotadores por trás das sensações de fracasso, das dúvidas sobre conseguir alguma coisa e de desmotivação experimentadas inclusive na vida profissional. E claro que quando estamos diante do grande desafio que é empreender, esses sabotadores estão se fazem “super” presentes em nossa mente! Tanto é verdade, que me tornei especialista em identificar os principais sabotadores que atrapalham meus clientes em processos de Coaching, principalmente os que estavam mais ligados às metas profissionais deles, o que gerou resultados muito mais rápidos e significativos.

 

Ah e por fim, vai uma dica extra: claro que se você pensa em fazer uma transição de carreira e seu objetivo é empreender, poderá contar com a ajuda de um coach de carreira para facilitar sua jornada! O papel do coach nesse sentido é te ajudar a entender e ter uma consciência maior da sua realidade, explorar suas opções, te apoiar na definição e desenho de metas e te proporcionar a condição necessária para chegar onde deseja chegar. Sabemos que mudanças requerem muito mais do que apenas força de vontade, nessa hora um processo de Coaching pode vir muito bem a calhar!

 

Thais Campos – Coach de Carreira